Neuanfang mit Mitte 40 [Um novo começo em meados dos anos 40]

Compartilhar no facebook
Compartilhar no twitter
Compartilhar no linkedin
Assista a este documentário com legendas em alemão! As legendas alemãs não são geradas automaticamente! Trata-se de legenda em alemão verdadeira! Assistir a documentários alemães ‘e a melhor maneira para melhorar seu Hörverstehen!

Documentário alemão com legenda

Conteúdo em alemão

Noch vor fünf Jahren führten Diana Knigge und Phillip Alexander Schubert, beide Mitte 40, ein Leben im sogenannten Wohlstand: eigenes Café, schickes Auto und große Wohnung. Eines Tages bekommen sie unerwartet ein Kaufangebot für ihr Café.

Die Entscheidung des Paares fällt erstaunlich schnell. Der Preis, sich täglich erschöpft zu fühlen, nur um die Rechnungen zu bezahlen, ist ihnen zu hoch. Sie steigen aus. Das Umfeld reagiert zunächst irritiert. Die beiden entscheiden sich für einen Weg, den sie selbst noch nicht kennen: Diana und Phillip wählen ein Leben in Bewegung. Sie kaufen ein Wohnmobil und leben seit mittlerweile fünf Jahren auf 12 qm, ihrer „Heimat auf Rädern“, wie sie es nennen. Sie suchen ein Leben, das zu ihnen passt, und keines, in das sie passen müssen.

Im Sommer verdienen sie in Deutschland ihren Lebensunterhalt für den Winter. Im Winter rollen die Räder Richtung Süden. So romantisch, wie das „Vanlife“ in den Medien oft dargestellt wird, ist es jedoch nicht. Oft bahnen sich Diana und Phillip auf Strandspaziergängen den Weg durch jede Menge Müll. Erst sind sie entsetzt, doch dann entdecken sie eine Möglichkeit darin. Sie kriechen über Strände, sammeln Plastikmüll und gestalten daraus kleine Kunstwerke, die sie tauschen oder verkaufen. Reich macht es sie nicht, aber glücklich.

Vor Herausforderungen sind die beiden auch in der Ferne nicht geschützt. Nicht alles fühlt sich „frei“ an. Die Gedanken reisen fast täglich nach Deutschland. Der Vater von Diana entwickelt eine Demenz und auch die Mutter braucht Unterstützung. Diana entlastet Schwester Nina, die neben den Eltern wohnt, telefonisch und jeden Sommer kehrt das Paar in die frühere Heimat Ratingen zurück, um für alle da zu sein. Sie sind dankbar, dass ihre Familien ihr Leben im Minimalismus voll respektieren. Auf ihrem Wohnmobil steht „Das große Glück mag kleine Dinge“.

Phillip: „Wir haben erkannt, es ist nicht der BMW und nicht 125 Quadratmeter. Das Glück und die Freude ist hier: Sonnenaufgänge, Natur, Kuchen backen, ein Pferd sehen. Es sind solche Dinge, die kosten nichts. Die stehen an keinem Plakat. Natürlich können wir uns keinen Mercedes kaufen. Aber wir können klar damit kommen, dass wir keinen haben und glücklich sein.“

Conteúdo em português

Há apenas cinco anos, Diana Knigge e Phillip Alexander Schubert, ambas na casa dos 40 anos, levavam uma vida de suposta afluência: o seu próprio café, um carro de luxo e um grande apartamento. Um dia, eles recebem inesperadamente uma oferta para comprar o seu café. A decisão do casal chega surpreendentemente depressa. O preço de se sentir esgotado todos os dias só para pagar as contas é demasiado elevado para eles. Eles desistem. Aqueles que os rodeiam reagem inicialmente com irritação. Os dois decidem por um caminho que eles próprios ainda não conhecem: Diana e Phillip escolhem uma vida em movimento. Eles compram uma casa móvel e vivem em 12 metros quadrados, a sua “casa sobre rodas”, como lhe chamam, há já cinco anos. Procuram uma vida que lhes convenha e não uma em que tenham de se adaptar. No Verão, ganham a vida na Alemanha para o Inverno. No Inverno, as rodas rolam para sul. No entanto, não é tão romântica como a “vida de van” é frequentemente retratada nos meios de comunicação social. Diana e Phillip fazem muitas vezes o seu caminho através de muita porcaria em caminhadas ao longo da praia. No início estão horrorizados, mas depois descobrem uma oportunidade nela. Rastejam através das praias, recolhem os resíduos plásticos e criam pequenas obras de arte a partir dos mesmos, que comercializam ou vendem. Os dois não estão protegidos de desafios, mesmo quando estão longe. Nem tudo parece “livre”. Os seus pensamentos viajam para a Alemanha quase diariamente. O pai de Diana está a desenvolver a demência e a sua mãe também precisa de apoio. Diana alivia a irmã Nina, que vive ao lado dos seus pais, por telefone e todos os Verões o casal regressa à sua antiga casa em Ratingen para estar lá para todos. Estão gratos por as suas famílias respeitarem plenamente a sua vida de minimalismo. A sua casa móvel diz: “Grande felicidade gosta de coisas pequenas”. Phillip: “Percebemos que não é a BMW e que não tem 125 pés quadrados. A felicidade e a alegria estão aqui: O nascer do sol, a natureza, cozer um bolo, ver um cavalo. São coisas assim, não custam nada. Não estão em nenhum cartaz. É claro que não podemos comprar um Mercedes. Mas podemos não ter problemas em não ter um e ser felizes”.

Tradução automática do resumo feita por www.deepl.com! Se você encontrar um erro, escreva um comentário ou envie-me uma mensagem por WhatsApp ou um e-mail!

Johannes

Johannes

Escreva um comentário

Sumário

Cadastre-se no Newsletter

* obrigatório

Quando você estiver inscrito no Newsletter, você não vai perder nenhuma novidade!

Start a Conversation

Hi! Click one of our member below to chat on Whatsapp

Suporte técnico

Suporte técnico

Suporte técnico - mande uma mensagem!

online

Tempo limitado!

Todos os cursos com 25% de desconto!