Meine Tage auf der Corona-Station [Os meus dias no ambulatório de Corona]

Compartilhar no facebook
Compartilhar no twitter
Compartilhar no linkedin
Assista a este documentário com legendas em alemão! As legendas alemãs não são geradas automaticamente! Trata-se de legenda em alemão verdadeira! Assistir a documentários alemães ‘e a melhor maneira para melhorar seu Hörverstehen!

Documentário alemão com legenda

Conteúdo em alemão

Ja, er kann kommen. Allein, mit seiner Kamera, einer Reisetasche mit dem Nötigsten und einem Corona-Test mit dem Ergebnis “negativ“. Am 23.03.2020 zieht der WDR-Doku-Autor Fritz Sprengart für insgesamt 10 Tage in das evangelische Krankenhaus in Mettmann und darf filmen, wie sich die Klinik und all ihre Mitarbeiter*innen vorbereiten, damit sie nicht am Ende Entscheidungen fällen müssen wie ihre Kolleg*innen in Italien. Am ersten Tag liegen 4 Patient*innen auf der Coronastation, aber jeden Tag werden es mehr. „Wenn wir irgendwann entscheiden müssen, wer beatmet wird und wer nicht, weil es nicht genug Beatmungsgeräte gibt, das ist schwer,“ gesteht Chefarzt Andreas Brauksiepe. „In die Situation will ich nicht geraten. Das macht mir große Angst.“ Jeden Morgen tagt eine Task Force, trifft neue Entscheidungen für den Tag und bewertet die Vorbereitungen von gestern.

WDR-Autor Fritz Spengart ist mit der Kamera unmittelbar dabei, wenn wichtige Entscheidungen getroffen werden, Patient*innen getröstet, kreative Lösungen gefunden werden müssen für eine Situation, die es noch nie gab. Hautnah erlebt er mit, wie sehr es von klugen und opferbereiten Menschen abhängt, ob die Krise gemeistert werden kann. Als er die Klinik nach 10 Tagen wieder verlässt, sind es schon 15 Corona-Patient*innen, die auf der Isolierstation liegen. Doch die Menschen hier geben nicht auf.

Conteúdo em português

Sim, ele pode vir. Sozinho, com a sua câmara, uma mala de viagem com o essencial e um teste Corona com o resultado “negativo”. Em 23.03.2020, o autor do documentário WDR Fritz Sprengart muda-se para o hospital protestante em Mettmann por um total de 10 dias e é autorizado a filmar a forma como a clínica e todos os seus funcionários se preparam para que no final não tenham de tomar decisões como os seus colegas em Itália. No primeiro dia há 4 pacientes na ala corona, mas todos os dias há mais. “Se a dada altura tivermos de decidir quem é ventilado e quem não o faz porque não há ventiladores suficientes, isso é difícil”, admite o médico chefe Andreas Brauksiepe. “Eu não quero estar nessa situação. Assusta-me de morte”. Todas as manhãs um grupo de trabalho reúne-se, toma novas decisões para o dia e avalia os preparativos de ontem. O escritor da WDR Fritz Spengart está ali mesmo com a sua câmara quando são tomadas decisões importantes, os pacientes são confortados, têm de ser encontradas soluções criativas para uma situação que nunca tinha acontecido antes. Ele experimenta em primeira mão o quanto depende de pessoas inteligentes que estão dispostas a fazer sacrifícios se a crise puder ser dominada. Quando deixa a clínica após 10 dias, já há 15 pacientes da Corona na ala de isolamento. Mas as pessoas aqui não estão a desistir.

Tradução automática do resumo feita por www.deepl.com! Se você encontrar um erro, escreva um comentário ou envie-me uma mensagem por WhatsApp ou um e-mail!

Johannes

Johannes

Escreva um comentário

Sumário

Cadastre-se no Newsletter

* obrigatório

Quando você estiver inscrito no Newsletter, você não vai perder nenhuma novidade!

Start a Conversation

Hi! Click one of our member below to chat on Whatsapp

Suporte técnico

Suporte técnico

Suporte técnico - mande uma mensagem!

online

Tempo limitado!

Todos os cursos com 25% de desconto!