Alpenrausch im Klimawandel – Der Ausverkauf der Berge [Frenesim alpino nas alterações climáticas – A liquidação das montanhas]

Compartilhar no facebook
Compartilhar no twitter
Compartilhar no linkedin
Assista a este documentário com legendas em alemão! As legendas alemãs não são geradas automaticamente! Trata-se de legenda em alemão verdadeira! Assistir a documentários alemães ‘e a melhor maneira para melhorar seu Hörverstehen!

Documentário alemão com legenda

Conteúdo em alemão

Der Kampf um die Urlauber in den Alpen wird immer härter. Durch den Klimawandel sind viele Skigebiete nicht mehr schneesicher. 70 bis zu 90 Prozent der Pisten müssen dabei ständig künstlich beschneit werden. Um den Skizirkus trotz Klimawandel in Gang zu halten, schrecken viele Betreiber auch vor illegalen Baumaßnahmen am Berg nicht zurück. Doch mittlerweile regt sich Widerstand bei den Einheimischen, die sich gegen solche Maßnahmen und gegen extremen Massentourismus wehren. Sie sehen nicht nur die Natur in Gefahr, sondern auch das soziale Leben in ihren Dörfern

Einheimische protestieren gegen Eingriffe in die Natur
Ein seltenes Bild – Wanderer beim Demonstrieren: Einheimische aus dem Vorarlberg und Tirol haben sich zusammengetan. Mit dem Ruf „As langat!“ (es reicht!) wollen sie Touristen und Politiker aufrütteln. Sie kämpfen gegen den Bau von riesigen Speicherseen zur Beschneiung der Pisten und gegen geplante Skischaukeln, die bislang naturbelassene Hänge überbauen würden. Deren Betreiber und Investoren schrecken beim Bau oft auch nicht vor illegalen Machenschaften zurück. Bereits jetzt spüren Einheimische die Folgen der Eingriffe in die Natur. Hänge werden immer instabiler, wie eine Bewohnerin aus Pettneu in der Nähe von St. Anton berichtet. Im Sommer vergeht kaum ein Monat, in dem keine Muren abgehen, die Straßen zuschütten oder gar Häuser zerstören. Am Arlberg gab es im Januar mehrere Lawinentote und in Balderschwang im Allgäu zerstört eine riesige Schneelawine Teile eines Hotels.

Ausgestorbene Bergdörfer außerhalb der Tourismussaison
Während einige Skigebiete immer größer werden, sterben kleinere Dörfer aus – für viele Einheimische ein ruinöser Wettbewerb. Zu den scheinbaren Gewinnern zählen die Hotspots wie St. Anton oder Ischgl. Hier setzt man auf Masse und Expansion. Viele Hotelliers finden jedoch kein Personal mehr. Es gibt kaum Wohnraum für Saisonkräfte, da jeder Quadratmeter lukrativ an Touristen vermietet wird. Stößt der Tourismus in den Alpen an seine Grenzen? Dabei geht es auch anders: Orte mittlerer Größe wie Balderschwang im Allgäu investieren in neue Konzepte für einen nachhaltigeren Tourismus.

Conteúdo em português

A batalha para os turistas nos Alpes está a tornar-se mais dura. Devido às alterações climáticas, muitas estâncias de esqui já não têm neve garantida. 70 a 90 por cento das encostas devem estar constantemente cobertas de neve artificial. A fim de manter o circo de esqui a funcionar apesar das alterações climáticas, muitos operadores não se esquivam às medidas de construção ilegal na montanha. Mas entretanto há resistência da população local, que se opõe a tais medidas e ao turismo de massas extremo. Eles vêem não só a natureza em perigo, mas também a vida social nas suas aldeiasLocais protestam contra as intervenções na naturezaUm quadro raro – caminhantes que se manifestam: Os locais do Vorarlberg e do Tirol uniram forças. Com a chamada “As langat!” (já chega!) querem abalar turistas e políticos. Lutam contra a construção de enormes reservatórios para a produção de neve nas pistas e contra circuitos de esqui planeados que se construiriam em encostas até agora naturais. Os seus operadores e investidores muitas vezes não se esquivam a maquinações ilegais durante a construção. Os habitantes locais já estão a sentir as consequências da invasão da natureza. Os declives estão a tornar-se cada vez mais instáveis, como relata um residente de Pettneu, perto de St. Dificilmente passa um mês no Verão sem deslizamentos de lama, enchendo estradas ou mesmo destruindo casas. No Arlberg houve várias mortes por avalanche em Janeiro e em Balderschwang, no Allgäu, uma enorme avalanche de neve destruiu partes de um hotel. Aldeias de montanha extintas fora da estação turística – enquanto algumas estações de esqui estão a ficar maiores, aldeias mais pequenas estão a morrer – concorrência ruinosa para muitos locais. Entre os vencedores aparentes estão hotspots como St. Anton ou Ischgl. Aqui, o foco é a massa e a expansão. No entanto, muitos hoteleiros já não conseguem encontrar pessoal. Quase não há espaço de vida para o pessoal sazonal, pois cada metro quadrado é lucrativamente alugado aos turistas. O turismo nos Alpes está a atingir os seus limites? Mas há outra forma: cidades de média dimensão como Balderschwang no Allgäu estão a investir em novos conceitos para um turismo mais sustentável.

Tradução automática do resumo feita por www.deepl.com! Se você encontrar um erro, escreva um comentário ou envie-me uma mensagem por WhatsApp ou um e-mail!

Johannes

Johannes

Escreva um comentário

Sumário

Cadastre-se no Newsletter

* obrigatório

Quando você estiver inscrito no Newsletter, você não vai perder nenhuma novidade!

Start a Conversation

Hi! Click one of our member below to chat on Whatsapp

Suporte técnico

Suporte técnico

Suporte técnico - mande uma mensagem!

online

Tempo limitado!

Todos os cursos com 25% de desconto!