Aktivist für eine offene Gesellschaft – Der Mutmacher [Activista para uma Sociedade Aberta – O Incentivo]

Compartilhar no facebook
Compartilhar no twitter
Compartilhar no linkedin
https://www.youtube.com/watch?v=d_o-Lbpzw2A
Assista a este documentário com legendas em alemão! As legendas alemãs não são geradas automaticamente! Trata-se de legenda em alemão verdadeira! Assistir a documentários alemães ‘e a melhor maneira para melhorar seu Hörverstehen!

Documentário alemão com legenda

Conteúdo em alemão

Shai Hoffmanns Weg vom Schauspieler zum Aktivisten: Als im September 2018 Rechtsradikale durch die Chemnitzer Innenstadt ziehen und Ausländer jagen, hält es ihn nicht mehr im Sessel. Er startet ein Crowdfunding-Projekt, sammelt Geld und will Busse nach Chemnitz chartern für friedliche Demonstranten gegen Hass und Gewalt. Was er erntet, sind 30.000 Likes – und zum Teil bitterböse Hass-Posts. Fragen treiben den Berliner Aktivisten und Sozialunternehmer Shai Hoffmann um: Was hält unsere Gesellschaft noch zusammen? Was können wir gegen Hass und Vorurteile tun? Der Berliner will mit Wutbürgern und mit Mutlosen ins Gespräch kommen. Die offene Gesellschaft retten – das ist seine Mission. Mit seinen Aktionen macht er anderen Mut, selbst aktiv zu werden.
Dabei weiß er um die Grenzen seiner Möglichkeiten und seiner Gesundheit. 2007 hatte ihm sein Vater Chaim eine Niere gespendet. Die Transplantation machte ihn unabhängig von der Dialyse. Doch zugleich musste er seine Karriere als Schauspieler an den Nagel hängen. Shai Hoffmann begann noch einmal ganz von vorn mit einem Wirtschaftsstudium und ist heute Dozent, Moderator, Aktivist. Seit der Transplantation ist die Beziehung zum Vater noch herzlicher geworden. Dazu gehört auch die Rückbesinnung auf seine familiären, jüdischen Wurzeln und Traditionen, die immer wieder mit Hass und Vorurteilen belegt werden.

Conteúdo em português

O caminho de Shai Hoffmann de actor para activista: Quando os radicais de direita marcharam pelo centro da cidade de Chemnitz em Setembro de 2018, perseguindo estrangeiros, ele já não podia ficar na sua cadeira. Inicia um projecto de financiamento de multidões, recolhe dinheiro e quer alugar autocarros a Chemnitz para manifestantes pacíficos contra o ódio e a violência. O que ele recolhe são 30.000 pessoas de quem gosta – e alguns cargos amargamente odiosos. As questões movem o activista e empresário social berlinense Shai Hoffmann: O que é que ainda mantém a nossa sociedade unida? O que podemos fazer contra o ódio e o preconceito? O berlinense quer falar com os cidadãos zangados e os desanimados. Salvar a sociedade aberta – essa é a sua missão. Com as suas acções, encoraja os outros a tornarem-se eles próprios activos, conhecendo os limites das suas possibilidades e da sua saúde. Em 2007, o seu pai Chaim doou-lhe um rim. O transplante tornou-o independente da diálise. Mas, ao mesmo tempo, teve de desistir da sua carreira de actor. Shai Hoffmann começou tudo de novo com uma licenciatura em economia e é agora conferencista, moderador e activista. Desde o transplante, a sua relação com o seu pai tornou-se ainda mais cordial. Isto inclui também um regresso às raízes e tradições judaicas da sua família, que são repetidamente sujeitas ao ódio e ao preconceito.

Tradução automática do resumo feita por www.deepl.com! Se você encontrar um erro, escreva um comentário ou envie-me uma mensagem por WhatsApp ou um e-mail!

Johannes

Johannes

Escreva um comentário

Sumário

Cadastre-se no Newsletter

* obrigatório

Quando você estiver inscrito no Newsletter, você não vai perder nenhuma novidade!

Start a Conversation

Hi! Click one of our member below to chat on Whatsapp

Suporte técnico

Suporte técnico

Suporte técnico - mande uma mensagem!

online

Tempo limitado!

Todos os cursos com 25% de desconto!